A primeira tatuagem


Já falei que meu aniversário de dezoito anos está chegando? 
E não muito diferente de grande parte do adolescentes, chegando nessa idade quero fazer uma tatuagem. Não agora em maio, mas lá pro final do ano é um projeto. Então estive pesquisando sobre umas dicas que qualquer tatuado de primeira viagem deve saber antes de iniciar os carimbos pelo corpo. Decidi compartilhar com meus bagunçadinhos aqui, prontos? 
Começou mais uma vez o discurso de que "isso ficará para sempre na sua vida"? Mais ou menos, não pretendo ser tão chata assim. 
Eu ando levando em consideração muita coisa sobre a tatuagem de número 1. Primeiramente, o lugar: precisa ser um lugar em que eu possa sentir como eu resisto à dor de ter uma agulha colorindo minha pele, ao mesmo tempo em que seja um lugar que ela seja visível (porém nem tanto). Tipo... Eu acho o rosto um lugar super visível mas não é um lugar bom para tatuar geralmente. A ideia passa por aí, conseguiram entender?
Depois disso, precisamos levar em consideração o desenho. Nome de namorados, do primo distante que chegou para passar as férias, a Betty Boop e a Hello Kitty (que foram moda anos atrás e hoje em dia muita gente considera absolutamente brega) são aquelas coisas das quais você deve fugir. Personagens característicos de uma época, nomes e desenhos que são tão elaborados que nem mesmo o tatuador conseguirá compreender para fazer não são boas ideias.
Já que você quer homenagear alguém, por que não cria um símbolo ao invés de tatuar o nome grandão numa parte do seu corpo? Conheci uma moça que fazia uma estrela para cada neto que ela ganhava. Já tinha 4 estrelinhas. Busque a simplicidade e a simbologia para a primeira tatuagem. Pode ser mais inteligente do que futuramente apagar a "Mãe Bainha" da sub-celebridade Bárbara Evans. 
Comece com algo pequeno e se gostar do resultado, evolua suas tatuagens. 

Já ouviu sua avó dizer que o barato às vezes sai caro? Quando nós falamos de tatuagem, estamos conversando sobre algo que tem a ver com nossa saúde. O estúdio precisa ser muito bem esterilizado, alguns materiais serem descartáveis e o tatuador precisa ser muito profissional para que você possa sair feliz com seu desenho tendo toda a saúde possível. Agulhas como as utilizadas pelos tatuadores podem conter vírus como o HIV (causador da AIDS), hepatites e por aí vai. Então dá para ter ideia de que isso não é brincadeira, certo? O lugar tem que ser muito asseado e você precisa ficar de olho.
Além disso, você precisa ter muita certeza de que o tatuador é bom mesmo. O cara tem que ter talento para fazer o desenho virar realidade no corpo. Quando o preço for bem abaixo do preço de mercado, desconfie. Peça para olhar o portfólio dele com desenhos anteriores e procure orientação de amigos já tatuados. Com certeza eles darão boas dicas sobre estúdios bons e bons tatuadores. 




Isso aqui é um erro meio clássico e chega a ser engraçado de triste (oi? mas pensa se não é) ver um erro de português ou qualquer outra língua eternizado na pele. De verdade: pense na tristeza que é olhar um "concerteza" na internet. Agora imagina algo grotesco assim na pele de alguém, pra não sair nunca mais a menos que ela esteja afim de perder uma grana boa e sentir dor para retirar a laser. 

Então tenha muita certeza que estará tatuando algo que não tenha erros mirabolantes de gramática e ortografia.




Dei uns exemplos de tatuagens que eu faria, em menor tamanho e em diferentes lugares. E se querem saber... Não são essas que tenho em mente! HÁ, peguei vocês!

Quais são as outras dicas que vocês consideram importante? Já têm alguma tattoo? Mostrem por favor! Beijão!




2 comentários:

Júlia Maria disse...

Eu sou doida pra fazer uma também, mas os meus 18 ainda vão demorar ://
Realmente tem que ter muito cuidado na hora de escrever frases.
E eu amei a ultima tatuagem, essas cores dela são LINDAS, fiquei encantada
Beijos

http://www.justacupcake1.blogspot.com.br/

Ana Beatriz Leiroz disse...

Julia, pior que os 17 são os mais longos. Parece que não passam nunca, ai que agonia! Obrigada pelo carinho e pela visita! Beijão!