Eu assisti: O jardineiro fiel

Olá, pessoal!
Estou já há um tempão para fazer essa resenha. O primeiro motivo é que eu assisti a esse filme num dia em que meu namorado veio aqui e a gente simplesmente dormiu como duas pedra felizes depois. Então enrolei, enrolei e só agora decidi pôr a mão na massa.

Ready to go?


Sinopse:


Uma ativista (Rachel Weisz) é encontrada assassinada em uma área remota do Quênia. O principal suspeito do crime é seu sócio, um médico que encontra-se atualmente foragido. Perturbado pelas infidelidades da esposa, Justin Quayle (Ralph Fiennes) decide partir para descobrir o que realmente aconteceu com sua esposa, iniciando uma viagem que o levará por três continentes.


Minha opinião:


O filme dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles, com Rachel Weisz e Ralph Fiennes (tio Voldy) no elenco, foi lançado em 2005. 
A história toda se passa com o funcionário da embaixada britânica no Quênia, país africano bem pobre. Ele e sua mulher, uma ativista, se mudam para lá e se deparam com absurdos cometidos por grandes conglomerados farmacêuticos, com pesquisas antiéticas envolvendo a população pobre e muitas das vezes, portadores do vírus HIV. 

As paisagens incríveis que aparecem no filme, tanto naturais quanto as construídas pelo homem, condizem bastante com a fotografia. Fria nos momentos da Inglaterra, no consulado; quente nos momentos dos grandes acampamentos que Tessa conhece. Além disso, a parte da investigação pura e simples tem movimentos de câmera rápidos quando é necessária a correria e mais lentos, com planos menores nos momentos de reflexão.

O filme é todo baseado em flashbacks, o que eu particularmente adoro. Mas você precisa ficar atento para não perder nenhum fiozinho da história, que já começa com Tessa morta. Os momentos em que Tessa, em vida, construiu esse caminho para sua morte serão descobertos pelo seu marido e o colocam em risco também.

Não sei muito o que dizer sobre o desenrolar da história sem dar grandes spoilers. Só digo que nada do que aparenta ser no início pode ser confiado por completo, viu? Fiquei com raiva de alguns personagens em alguns momentos e me surpreendi no final.

Achei o final condizente com a proposta do filme, mas esperava algo mais interessante até mesmo pelo modo como o filme se apresentou em todos os momentos. Não sei se é porque eu realmente ansiava por algo diferente. Só sei que me decepcionou um tiquinho nesse ponto. 

O filme está disponível em alta definição no Netflix, eu o assisti por lá (mesmo tendo o dvd, agora me explica a lógica disso!)



Quatro estrelinhas da tia Bia!

8 comentários:

Wanessa Andrade disse...

Eu tenho vários dvd's que nunca assisti... KKKKKKKKKKK
Vou baixar esse filme pra ver. Também gosto muito de flashbacks, sai da mesmice.

www.merdicencias.com

Natália Pacheco disse...

Nunca ouvi falar desse filme, mas me baseando na sinopse e na sua opinião, eu iria adorar. Até porque, amo qualquer coisa que tenha um pouco de investigação criminal e envolvem assassinatos. Beijos, Light As The Breeze

Estefanie Ribeiro disse...

Ouço muito falar desse filme na faculdade, mas até hoje não criei vergonha na cara de assistir. Sua resenha me deixou mais interessada e me fez lembrar que parece ser bem legal. Adorei.

Beijos adocicados!
Coisas Fúteis

Jacqueline Santos disse...

Aiii quero assistir! *-*

www.corujaloira.com

Ana Beatriz Leiroz disse...

Estefanie, assiste sim que eu tenho certeza que não irá se arrepender. Ele é bem instigante! Obrigada pelo elogio e por ter visitado o blog!

Ana Beatriz Leiroz disse...

Como eu disse ali em cima, se você tiver netflix tem em hd e poupa a procura. Acho o lance de flashbacks muito interessante pra construção da narrativa que o filme propõe-se a ter, investigativa.

Ana Beatriz Leiroz disse...

Investigações criminais estão na minha lista de coisas que eu adoraria fazer na minha vida mas não faço por motivos de: quero medicina. =/ Sempre amei tudo relacionado a isso e esse filme consegue dar uma boa aliviada nos instintos investigativos.

Ana Beatriz Leiroz disse...

Assiste sim! Não vai se arrepender.