Eu li "Comer, rezar, amar"

Primeiramente, uma satisfação. Esses dias foram muito tensos e corridos pra mim. Não passei no vestibular pra medicina, mas fiquei bem perto e há possibilidades do segundo semestre. Mas como nada é certo nessa vida, eu tive que estudar pra umas provas de bolsão de cursinho pré-vestibular. Fiquei doente, ficaram doente, toda uma tensão... É claro que não tive cabeça pro blog! Mas vamos lá. A primeira boa notícia é que meu namorado passou pra engenharia na UFRJ! Tô muito feliz por ele! Então vamos ao post?


Se você não gosta de livros com relatos vívidos, experiências transcedentais e três países magníficos para conhecer, pare de ler essa resenha agora e vá jogar bridge com sua avó (seja lá o que isso significar). Quando eu comecei a ler "Comer, rezar e amar", da americana Elizabeth Gilbert, a simples Liz, achei que fosse encontrar um livro sem nenhuma paixão. Dei com os burros n'água. 

Imagine que esse livro é real, porque ele é. Isso aconteceu de verdade com a Liz Gilbert, que é uma americana. Ela vive na tumultuada Nova York com seu marido e descobre que leva uma vida infeliz ao lado dele. Depois de procrastinar um tempo, separa-se e com seus mais de 30 anos vive um voluptuoso amor com um cara alguns anos mais novo que ela. Depois da ruptura dolorida também com ele, a depressão finalmente se instala na mulher. Tão profunda que ela toma uma decisão incrivelmente libertadora. Em busca da sua descoberta mais recente (sua espiritualidade), Liz decide abandonar tudo o que conhece e viver um ano olhando para seu interior e procurando equilíbrio. Sua primeira parada é na Itália, onde ela conhece os prazeres da comida, bons amigos e da língua que acha mais linda no mundo todo. Seus sorvetes se tornam especiais, e com eles os quilos extras. Depois de quatro meses dessa overdose de carboidratos, ela vive num ashram indiano, local de meditação. E descreve suas dificuldades, seus pensamentos, os fantasmas que a atormentam (tudo da cabeça dela, viu?) e sua experiência com Deus. Suas incríveis companhias e descobertas num local quase sagrado da Índia a levam para a próxima aventura, em Bali (Indonésia). Ela agora precisa lidar com costumes muito diferentes dos seus, nomes repetidos e vivencia rituais que uma americana loirinha nunca esperaria vivenciar. E como o último nome diz, amar.

O livro é dividido em 108 histórias (as 108 contas indianas), 36 para cada país visitado (Itália, Índia e Indonésia). Gostei muito da diagramação dessa edição, vi apenas um errinho que foi claramente de digitação. Vejam mais ou menos como é o livro:


Deu pra entender mais ou menos como é, não?

Minha ideia é que esse livro é tão mais profundo que um simples relato que quem o lê pensando assim, perde a maior parte dele! Eu não teria a coragem que Liz teve quando largou tudo e se mudou para a Itália, Índia e Indonésia! É um salto que deve ser feito de forma compromissada, mas não calculada. 
Além de falar de coragem, do contato com Deus (seja qual for sua religião, as ideias da Liz são divinas para todos hehe) e de um monte de coisas da sua própria vida, Liz fala sobre aspectos culturais de cada local que ela visita. Então você vai descobrir onde está o melhor sorvete e a melhor pizza da Itália, que nem toda menina indiana quer casar e como os nomes balineses podem ser confusos. Mas calma, ela explica tudinho!
Um banho de cultura, lição de vida e diversão. Encontrei tudo isso em "Comer, rezar, amar"!


Então tudo o que tenho a dizer a mais é: amei esse livro!

E tem um filme com a Julia Roberts. Homônimo, conta a história das telonas. Eu ainda não assisti, mas tô com muita vontade! Vocês já viram o filme ou leram o filme? Gostaram! Comentem!


2 comentários:

bia oliveira disse...

bom ! é uma história complicada mesmo e esse é um dos livros que também quero ler ... além de ser um relato verdadeiro ... adorei
anjo , estou seguindo seu blog , se puder retribuir agradeço :

www.focandonamodateen.blogspot.com

Ana Beatriz Leiroz disse...

É uma história linda! No meio da Índia ele dá uma paradinha, mas continue a ler! Fica incrível depois!
Vou ver seu blog e se gostar, sigo! (: