Sobre madressilvas

Passei por teu jardim repleto de madressilvas. 
Estas entrelaçavam-se entre grades em que te escondias. 
Encoberta pela natureza e por tuas lágrimas. 
Estás resignada, flor. 
Acabada. 
Despetalada.
Então deixe teu pranto
Ser a catarse de tudo o que
Guardas em tuas entranhas. 
Pode as madressilvas que envenenam
Teu tão mal cuidado jardim, 
Que estás regando com sofreguidão
Mas tudo o que percebes é que teu pomar está ruim.
Isto por tomar como tuas
Todas as folhas esturricadas
De jardins alheios
E primaveras passadas.
Passei por teu jardim repleto de madressilvas. 
O que vi foi desolação. 
Por minha culpa, 
Que somente passei pelo jardim 
No qual se esconde teu coração.

3 comentários:

Juliana Abe disse...

Oi!! Olha que coisa mais digna! Adorei o poema... é isso mesmo?
Madressilvas são fofaaas!!! hahhahaha !

http://paprica-doce.blogspot.com

Ana Beatriz Leiroz disse...

Olá! Obrigada pelo elogio! É quase um poema, não sou boa o suficiente pra fazer poemas! Obrigada mesmo por ter vindo aqui!

Bárbara disse...

oi, te taguei pra responder uma tag, visita lá e vê: bdeblinda.blogspot.com.br